Notícias

Prefeito paulista sugere criação de matéria sobre dependência química nas escolas do Estado

Quinta, 19 de janeiro de 2017.

Ag. BrasilA Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo aprovou um projeto de lei que prevê a criação de uma disciplina escolar extracurricular sobre dependência química. A proposta partiu do prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado, sob o argumento de que o tema tem sido trabalhado de forma superficial e pouco específica nas escolas.

Para estruturar a matéria, Machado citou levantamento elaborado pela Universidade Federal de São Paulo, em 2013. O material revela que ao menos 28 milhões de pessoas no Brasil têm algum familiar com quadro de dependência química. Também sinaliza que, para cada usuário, existem outras quatro pessoas afetadas.

Outras pesquisas da área apontam o perfil dos iniciantes do uso de drogas: eles são em sua maioria adolescentes, do sexo masculino, com idade acima de 13 anos. Outro ponto em comum é que frequentam a escola, vivem com os familiares e têm um relacionamento ruim dentro de casa.

O projeto de lei aguarda sanção do governo. Para a Confederação Nacional de Municípios (CNM), a proposta deve ser analisada com prioridade. A entidade acredita que a temática da drogadição e da toxidependência precisa ser colocada em pauta na comunidade estudantil.

Conheça o Observatório

Desde 2011, o Observatório do Crack vem acompanhando o desenvolvimento de ações relacionadas ao crack e outras drogas nos Municípios brasileiros. O projeto da CNM elaborou um conjunto de estudos, que apontam que as escolas são locais vulneráveis, geralmente utilizados como ponto de tráfico de entorpecentes. Com isso, a dinâmica da vida de crianças e adolescentes, bem como de suas famílias, é afetada.

Saiba mais sobre o Observatório do Crack aqui